sexta-feira ,15 dezembro 2017
Home / Noticias / Minas investiga 53 mortes por febre amarela; casos suspeitos chegam a 184

Minas investiga 53 mortes por febre amarela; casos suspeitos chegam a 184

A Secretaria de Saúde solicitou ao Ministério da Saúde o envio de mais 2 milhões de doses da vacina.

A Secretaria de Saúde de Minas Gerais informou, na tarde desta terça-feira (17), que subiu para 53 o número de mortes investigadas no estado por suspeita de febre amarela. O total de casos suspeitos passou de 152 para 184.

Das 53 mortes, 22 já são consideradas casos prováveis e pendentes de um resultado de exame laboratorial. Essas ocorrências foram em seis municípios do Vale do Rio Doce – Piedade de Caratinga (4), Ubaporanga (1), Ipanema (2), Imbé de Minas (1), Itambacuri (1), São Sebastião do Maranhão (1) – e em quatro cidades do Vale do Mucuri – Ladainha (8) e Malacacheta (2) Poté (1) e Setubinha (1).

Mosquito haemagogus janthinomys, que também transmite a febre amarela (Foto: Reprodução)

Mosquito haemagogus janthinomys, que também transmite a febre amarela (Foto: Reprodução)

Já as notificações de casos suspeitos subiram, em relação ao último balanço, de 152 para 184. Segundo a secretaria, 37 são casos prováveis – 35 homens, com média de idade de 42 anos; e 2 mulheres. Entre os sintomas da febre amarela estão dores de cabeça e musculares, náuseas, vômito, febre alta, calafrios e cansaço.

A cidade com maior número de notificações é Ladainha, onde 38 suspeitas foram registradas. Na sequência, aparecem cinco cidades do Vale do Rio Doce: Caratinga, com 24 registros, São Sebastião do Maranhão (21), Imbé de Minas (14), Piedade de Caratinga e Ipanema (13 cada).

Também há ocorrência de casos suspeitos em Água Boa (1), Alpercata (1), Alvarenga (1), Entre Folhas (2), Inhapim (2), Ipatinga (2), Itambacuri (8), Itanhomi (1), São Domingos das Dores (1), São Pedro do Suaçuí (1), e Ubaporanga (6), no Vale do Rio Doce.

As cidades com casos suspeitos no Vale do Mucuri são Frei Gaspar (2), Malacacheta (4), Novo Cruzeiro (4), Poté (9) e Setubinha (1), Simonésia (2), e Teófilo Otoni (8).

Reforço de vacinas

Também nesta terça-feira (17), a Secretaria de Saúde de Minas solicitou ao Ministério da Saúde, nesta terça-feira (17), o envio de mais 2 milhões de doses de vacinas contra a febre amarela. Até o momento, o estado recebeu cerca de 1,5 milhões de doses, sendo que destas 957 mil foram entregues nesta segunda-feira (16) e o restante deve ser entregue hoje.

Vacina contra febre amarela (Foto: André Borges/Agência Brasília)

Vacina contra febre amarela (Foto: André Borges/Agência Brasília)

A secretaria informa que, do montante de 2 milhões de doses, 550 mil devem ser encaminhadas ao estado até a sexta-feira (20). Ainda de acordo com a secretaria, todas as doses serão destinadas para as populações das áreas onde há surto, cidades nas regiões Leste e Zona da Mata de Minas Gerais. As demais regiões continuam a receber o fluxo de rotina, uma vez que a vacina está no calendário de imunização do estado.

O Ministério da Saúde confirmou o recebimento do pedido do governo de Minas e disse que está em contato constante com a Secretaria de Saúde do estado para analisar a quantidade de vacinas solicitadas e a logística de entrega.

A secretaria ainda informou a quantidade que vacinas que cada cidade onde há regional de saúde recebeu até esta segunda-feira (16).

  • Governador Valadares: 145 mil
  • Diamantina: 40 mil
  • Manhumirim: 130 mil
  • Teófilo Otoni: 252 mil

A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus, que pode levar à morte em cerca de uma semana se não for tratada rapidamente. De acordo com o Ministério da Saúde, a doença é transmitida por mosquitos e comum em macacos, que são os principais hospedeiros do vírus.

Em Minas, conforme a SES, 17 cidades tiveram registro de morte ou aparecimento de primatas doentes. As cidades estão localizadas nos vales do Rio Doce e Mucuri e na Zona da Mata.

Você pode Gostar de:

Criação de empregos ocorrerá de forma muito mais rápida com reforma, diz Temer

Em pronunciamento para o Dia do Trabalhador, presidente também diz que mudanças vão reduzir número …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *