quarta-feira ,23 outubro 2019
Home / Cidades - DF / Obras na Rodoviária do Plano Piloto têm apoio da população

Obras na Rodoviária do Plano Piloto têm apoio da população

GDF promete transtornos mínimos durante os trabalhos de recuperação do local, que tem áreas interditadas

A população do Distrito Federal que usa, diariamente, a Rodoviária do Plano Piloto, amanheceu nesta quinta-feira (27) com a notícia da interdição do local. A informação foi dada ontem pelo próprio governador Ibaneis Rocha, em coletiva de imprensa realizada no começo da noite de quarta-feira (26), no Palácio do Buriti. Ao lado dos secretários de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro; do diretor de Edificações da Novacap, Francisco Ramos; do secretário de Obras e Infraestrutura, Izídio Santos; do diretor-geral do DFTrans, Josias Seabra; e do diretor-geral do Detran-DF, Valmir Lemos, o chefe do Executivo explicou que a medida foi necessária após vistorias da Novacap detectarem dilatação na estrutura que dá sustentação ao piso superior do local.

“Sei do transtorno que uma medida emergencial como essa causará à vida da nossa população, mas precisamos, em primeiro lugar, pensar na segurança e na vida das pessoas que passam por ali todos os dias”, fez questão de frisar o governador durante encontro com imprensa. A previsão é de que em três meses as obras nos locais estejam concluídas. Até lá, nenhum veículo poderá atravessar a via que liga o shopping Conjunto Nacional ao Conic, no sentido Norte-Sul. O custo estimado da reforma será de R$ 6 milhões.

O Governo do Distrito Federal tem se mostrado solidário com a população diante dos transtornos emergenciais surgidos, mobilizando sua estrutura para solucionar o problema o mais rápido possível. Hoje mesmo, logo nas primeiras horas do dia, o secretário de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro, foi ao local para acompanhar o andamento das medidas. Para o gestor, o principal problema surgido está na desinformação dos passageiros quanto às mudanças dos locais de embarque da parte superior.

“Como foi uma interdição abrupta, esperávamos que nesses primeiros dias pudesse haver alguma confusão. Vamos reforçar com cartazes nas plataformas superiores a informação de que os ônibus não vão passar mais naquele local, por enquanto, mostrando para as pessoas o lugar correto para onde eles terão que seguir”, esclareceu o secretário de Transporte e Mobilidade. “Daqui para frente será tudo uma questão de readequação. Vamos permanecer com todas as nossas equipes no local para dar o melhor atendimento possível para a população e diminuir os transtornos que qualquer obra causa na cidade”, reforçou.

Apoio da população
Motorista de aplicativo, Humberto Maia, 45 anos, passa várias vezes por dia na área central do Plano Piloto. Passava. Nesta quinta-feira, por exemplo, teve sua rotina adaptada diante da nova situação. Estacionou o carro no Teatro Nacional e seguiu a pé até o Conjunto Nacional. “Transtorno sempre existe, mas se tem que fazer algo que faça logo para evitar um mal maior. Ainda bem que o governo está agindo”, defendeu.

Com uma rotina diária de seis horas por dia no local, o motorista de ônibus da Viação Pioneira, Flávio Moreira elogiou a rapidez com que o governo agiu diante do caso. Para o profissional do volante, nesse caso específico, a sabedoria popular tem sempre razão. “É melhor prevenir do que remediar”, disse. “É uma paralização necessária, senão não se consegue fazer as obras e como é algo urgente, que seja feito logo”, avalia.

Marceneiro morador de Itapoã, Erson Geib destacou a atuação da gestão Ibaneis Rocha em outras áreas da cidade. “Temos notado que esse governo tem interesse em resolver as coisas. Por exemplo, lá onde eu moro não se via viaturas do Detran nas ruas da cidade. Agora o Detran está dentro da nossa cidade, tem que mostrar trabalho mesmo”, elogia.

Você pode Gostar de:

Manifestantes saem às ruas em defesa de Moro em dia de novos vazamentos

Manifestantes comparecem a atos marcados em 88 cidades para protestar contra “ataques à Lava Jato”. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *