sexta-feira ,15 dezembro 2017
Home / Cidades - DF / Verão chega com promessa de calor e chuva no Distrito Federal

Verão chega com promessa de calor e chuva no Distrito Federal

Expectativa é de que as chuvas passem a ocorrer todos os dias. Mudança não afeta medidas de racionamento do GDF para evitar crise hídrica em 2017.

O nascer do sol em Brasília (Foto: Pedro Ventura/GDF/Divulgação)

O nascer do sol em Brasília (Foto: Pedro Ventura/GDF/Divulgação

O Verão chegou nesta quarta-feira (21) e a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é de que, mesmo com sol forte, as chuvas típicas da estação ajudem a recompor as perdas nos reservatórios do Distrito Federal nos próximos três meses.

A expectativa é de que as chuvas passem a ocorrer todos os dias, especialmente no fim da tarde. “São chuvas rápidas, mas bastante intensas”, disse a meteorologista do Inmet, Ingrid Peixoto. A média de chuva no mês de dezembro é de 246 mm. Esse índice pode chegar a 8 mm no auge da seca, em junho.

Outro fenômeno que deve se repetir durante o período é a formação das Águas Centrais do Atlântico Sul (ACAs). Trata-se de um padrão de nebulosidade mais intenso. Uma vez que ele se instalar sobre o DF, vai provocar tempo fechado e chuvas constantes por cerca de quatro dias a cada vez que acontecer.

Torneiras fechadas

Mesmo assim, tarifa extra para diminuir o consumo deve continuar. A avaliação é de que, as chuvas não vão ser suficientes para encher os reservatórios de Santa Maria e São Sebastião. Por isso, será preciso economizar água para a crise não ser ainda pior durante a estação seca de 2017.

Apesar da previsão de chuvas, o sol também vai aparecer ao longo de todo o período. Com o verão, os moradores do DF vão aproveitar a luz do dia por mais tempo. No solstício desta quarta, o dia mais longo do ano para o hemisfério sul, o sol em Brasília nasceu às 6h38 e se pôs às 19h42.

As temperaturas vão ficar na média dos 30°C. A umidade pode variar entre 60% e 100%. “No ano passado, o calor foi maior e as umidades, mais baixas”, explicou Ingrid. De acordo com ela, as mudanças são porque os efeitos do La Niña sobre o Brasil neste ano estão mais fracos.

O La Niña é um fenômeno natural que atua para diminuir as temperaturas do Oceano Pacífico. É o contrário do El Niño e, como ele, gera uma série de mudanças nos padrões de chuva e temperatura ao redor da Terra.

Por Gustavo Aguiar, G1 DF

Você pode Gostar de:

Ex-senador do DF tenta recuperar mansão ocupada por moradores de rua

Parte da estrutura foi construída em área pública às margens do Lago Paranoá. Imóvel seria …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *